A verdade sobre quando expomos nossos pecados



Falar fica fácil com o tempo. Falar sobre Jesus, sua vida, seus milagres históricos e toda a teologia, mas quantos de nós são corajosos para falar sobre os próprios pecados? Quantos de nós estão dispostos a cavar mais fundo em seus testemunhos e falar das feridas que ainda doem, das batalhas ainda encaradas, do que não mudou rapidamente após a conversão?


Ele vem para nos salvar do mundo e da nossa própria natureza pecaminosa. Ele vem e cura os vícios, os medos, as doenças internas também. Ele nos limpa, retirando o que há de mais sujo e nos dá vestes novas. Mas o processo não se encerra ali, ele apenas começa. É preciso que haja uma batalha diária contra nós mesmos. E todo testemunho, por menor que lhe pareça, atesta o poder do sangue do Cordeiro.

"Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças;

contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e afligido. Mas ele foi traspassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados." Isaías 53:4-5.

Sinto falta de ouvir mais, de ver a vulnerabilidade em pregadores e influenciadores para contarem os pecados mais escondidos de seus corações. Sinto falta de ver coragem nos que convivem todo dia conosco para falar sobre as batalhas mais difíceis que encararam e quais ainda acontecem. Na minha igreja, um homem está lá todos os domingos e, ao fim de cada culto, há anos, sai para fumar com toda a sua culpa. Sinto falta de falarmos disso, com sinceridade e disposição.


Porque nós, cristãos convertidos, ainda não somos perfeitos. Porque a conversão não resolve tudo para sempre. A escolha por carregar a cruz e morrer para o mundo é diária. E o poder do testemunho é tamanho, bem como na música de Rodolfo Abrantes: "que das minhas feridas, saia poder para curar". Do contrário, por que o próprio Jesus diria ao homem que havia acabado de libertar dos demônios:

"Vá para casa, para a sua família e anuncie-lhes quanto o Senhor fez por você e como teve misericórdia de você". (Marcos, 5:19) ?


E nessa disposição, seguindo o propósito de cuidar do outro, que estejamos corajosas para mostrar os nossos erros e como estamos lutando para vencê-los não apenas por nossa força, mas por Cristo. Que possamos mostrar que a escolha por Jesus não nos fez perfeitas, porém mais fortes e, apesar de parecer contraditório, mais vulneráveis. Não para o nosso próprio bem e sim para que o mundo entenda os sacrifícios que devem ser feitos e que são mínimos diante do que Deus faz por nós.


Que o cristianismo seja sinônimo de coragem em prol da salvação do outro, mesmo que isso signifique falar do que mais te envergonha. Quantas almas perderemos enquanto elas se compararem com os cristãos convertidos sem erros e se julgam inadequadas para a vida com Jesus?


Por Mariah Costa

304 visualizações

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon