Coração circuncidado


Somos constantemente bombardeados com os ideais pervertidos da sociedade líquida na qual estamos inseridos. Não importa onde nós estivermos nossos valores são sempre colocados em xeque e a nossa conduta cristã é, muitas vezes, adulterada, e talvez para que nós não soframos mais com as retaliações dos “não cristãos” temos deixado a essência para trás aos poucos e procurado nos moldar ao “padrão mundial”. Estamos negando a Cristo? Quando dizemos sim para o mundo e “depende da interpretação” para a Bíblia, nós relativizamos aquilo que é absoluto.


Temos medo de confrontar o que sabemos e então ficamos calados e, de tanto nos calarmos, começamos a falar como aqueles que não conhecem a Cristo. Fugimos tanto do rótulo de “crente careta” que entramos numa linha muito tênue entre liberdade e libertinagem. Com isso, acabamos nos tornando libertinos e em nome da incrível graça e liberdade no filho de Deus deixamos nos levar e esquecemo-nos de um ponto chave que a maior parte dos “justos” parece não se atentar: a morte da própria vontade para que a vontade de Jesus prevaleça. A morte de quem eu era para que o caráter dele seja impresso em mim, a morte do meu prazer para que eu seja plenamente satisfeito em sua presença. Morte para que eu tenha Vida e Vida abundante. A circuncisão do antigo testamento é um sinal que era colocado nos meninos que se tratava de uma marca visível de que eles faziam parte do povo de Deus.


“Todos os que forem do sexo masculino serão circuncidados no oitavo dia, tanto os nascidos em sua casa quanto os que forem comprados de estrangeiros. Tanto os nascidos em casa quanto os comprados terão de ser circuncidados. Esta marca no corpo de vocês será um sinal permanente da minha aliança eterna. Todo aquele do sexo masculino que não for circuncidado será cortado do seu povo. Ele quebrou a minha aliança”. (Gênesis 17:12-14).


Muito tempo depois em uma carta ao povo da cidade de Colossos já no novo testamento, Paulo relembra, com autoridade, a operação física da circuncisão que foi agora substituída por uma espiritual muito mais poderosa, pois de nada adianta um corte na carne se os corações não morreram e ressuscitaram com Cristo.


“Quando vocês foram a Cristo, ele os libertou dos seus maus desejos, não por meio de uma operação física de circuncisão, mas de uma operação espiritual feita por Cristo, pela qual somos libertados do poder da natureza pecadora. No batismo a sua velha natureza pecaminosa foi sepultada com ele; e então vocês ressuscitaram da morte com ele para uma nova vida, porque confiaram na palavra do poderoso Deus que levantou Cristo dentre os mortos’’ (Colossenses 2:11-12).


Você consegue entender? A Bíblia é clara, Deus permanece o mesmo, então aquilo que ele ama, continua amando e aquilo que ele abomina, ele continua abominando. As leis saíram da pedra e foram colocadas em nossos corações. Não é por meio da lei que somos salvos, não!


Obedecer às leis não é a principal condição para que você seja salvo, mas nem por isso elas são invalidadas. Isso é muito além de cumpri-las por “obrigação”, mas é sobre com agradar ao Senhor, obedecê-lo, viver uma vida a qual Jesus viveria.


“Eu já fui crucificado com Cristo: eu próprio não vivo mais, e sim é Cristo quem vive em mim’’. (Gálatas 2:20)


Onde estão aqueles que não se contaminaram? Onde estão os que perseveraram? Onde estão os que não negociaram a sua santidade? Onde estão aqueles que disseram não para o mundo por amor a Cristo? Onde estão o que mantiveram suas roupas limpas? Onde estão os remanescentes? Onde estão aqueles com o coração circuncidado?


Cara peregrina, minha oração é que assim como eu, você seja transformada por esse entendimento. Não seja como muitos que retrocederam! Prossiga firme e convicta em direção ao alvo que é Jesus. Logo estaremos em casa!


Por Marjorie Aleixo

387 visualizações2 comentários

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon