Dia 2: Construindo relacionamentos que agradam a Deus



Toda construção exige dedicação, esforço e tempo. Além do mais, se eu fosse acrescentar mais alguma palavra, certamente seria: intencionalidade.

O momento da minha vida em que eu passei a entender mais sobre o poder da intencionalidade em minhas ações, eu comecei a desfrutar de mais verdade, mais resultados e mais qualidade em diversas áreas, inclusive nos meus relacionamentos.

Essa palavra é o oposto do ‘deixar a vida nos levar por aí’. É sobre analisar e decidir onde se quer chegar ou o que deseja e agir em direção aquilo, tanto é que ‘intencional’ significa fazer algo de propósito, por querer, intencionado.

Mas, de que forma a intencionalidade se aplica aos nossos relacionamentos?

Nós fomos criados para nos relacionar. Somos seres relacionais. Nascemos de uma relação entre duas pessoas, somos gerados em 9 meses, em regra, dentro de nossas mães e, no início de nossas vidas, só caminhamos e nos alimentamos com o auxílio de alguém.

Além do mais, a Bíblia nos chama de corpo de Cristo (1 Coríntios 12), o que revela a incapacidade de um membro desempenhar todo o trabalho sozinho. O Espírito Santo opera de nós de diferentes formas, fazendo com que o dom que há em mim acrescente algo a alguém e vice-versa.

Mas, e agora? Como construir ao longo da nossa vida relacionamentos que agradam a Deus? Na verdade, o que agrada a Ele?

Para descobrirmos isso, precisamos olhar para a Sua Palavra. Ao longo das escrituras, vemos a bondade de Deus sendo manifesta inúmeras vezes na vida dos seus filhos ao em passo que Ele acrescentava pessoas à vida deles. É do interesse dEle promover conexões divinas.

O que agrada a Ele é aquilo que coopera para o bem, a saúde e o crescimento dos seus filhos e, para conseguirmos distinguir bem isso, precisamos aprender com Ele. Os céus nos trazem o modelo ideal, a trindade nos ensina que o parâmetro está ali. O Pai, o Filho e o Espírito Santo sempre exemplificarão e revelarão o modelo ideal, a referência perfeita de ordem, respeito e sincronia.

Quanto mais os conhecemos, mais conseguiremos distinguir e discernir onde cabemos e onde não nos cabe de jeito nenhum. Tão bom quanto saber o que queremos, é saber o que não queremos.

Jesus é o grande exemplo de amizade. Através das suas atitudes Ele demonstrou e ainda demonstra, o que é ser um bom amigo. Ele fez tudo o que podia para nos salvar de uma eterna separação com o Pai por conta do pecado. Ele morreu para que nós ganhássemos um melhor amigo, o Espírito Santo.

Os nossos relacionamentos precisam ser uma benção, caso contrário, reveja-os. Ouvi uma vez uma frase que dizia assim: “não existe relacionamento que sobreviva à ausência de cultivo”. Em uma era de compromissos líquidos, o rei nos ensina e nos convida a sermos fieis. Através do seu constante zelo, nos mostra que relacionamentos pedem cuidado, assim como um jardim. Além do mais, o segredo está também em uma boa comunicação e no estabelecimento de limites, é sobre deixar claro até onde o seu próximo pode ir.

Essas conexões fazem parte do acréscimo de Deus em nossas vidas, assim como Mateus 6:33 nos ensina. Muitos querem ter amigos, mas nem todos estão dispostos a aprender a ser um bom amigo. Não faz sentido! Muitos querem um bom marido, mas nem todos estão dispostos a se tornarem uma boa esposa.

O que agrada a Ele? São relacionamentos que nos auxiliam a desfrutar da plenitude do céu na Terra, que nos forjam, nos edificam e não destroem. É sobre saber muito bem respeitar a individualidade, oferecer lealdade e sinceridade. É sobre deixar de lado o egoísmo.

Na maioria das vezes que Deus quer mudar um destino, ele geralmente faz com que caminhos se cruzem. Relacionamentos carregam o poder de Deus para virar algumas chaves nas nossas vidas, para mudar o nosso destino. Eles são uma espécie de ponte que nos conecta com o nosso propósito e, muitas vezes, forjam o nosso caráter.

Você pode pensar: “mas eu não tenho conexões divinas na minha vida!”. Deus nos chama para descansar os nossos corações em sua fidelidade, bondade e certeza de cuidado. A nossa primeira conexão precisa ser Deus, esse relacionamento vai nos ensinar a como bem conduzir todos os outros. Lembre-se sempre, antes de querer ter, escolha ser.

Outra coisa muito importante, é sempre ter em mente que a solução da vida não está em pessoas, mas sempre estará nEle.

Quem você tem permitido que te influencie recentemente? Não abra a sua vida para qualquer um. Tenha zelo ao decidir a quem se expor. Não se aproxime das pessoas por interesse, mas por lealdade, amor e compromisso.

“Aquele que anda com os sábios, será cada vez mais sábio, mas

o companheiro dos tolos acabará mal.” - Provérbios 13:20

A minha oração é para que você decida intencionalmente a ser muito amiga do Espírito Santo e a valorizar quem nunca deixou o seu barco, e que, no tempo e no modo certo, você ganhe e construa doces conexões divinas para potencializarem o seu propósito na Terra. 

Por Nanda Ibanhes


818 visualizações1 comentário

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon