Dia 3: Relacionamento: o princípio da confiança

Atualizado: Mai 13

Ligação, conexão, intimidade, convivência.

Relacionamento é entre essas coisas que citei, uma relação que exige entrega e reciprocidade. Sabemos que isso cabe muito bem em nossos vínculos terrenos, pois desde o nosso nascimento nutrimos relações familiares e amigáveis de uma maneira muito natural, eu diria que até espontânea, nascemos com essa graça. E por isso concluo que essas interações são a base daquilo que vivemos aqui na terra.

Mas quando se trata de um relacionamento com Deus, temos essa mesma facilidade?

Sobre isso nós vamos conversar agora.


Bom, Deus deseja ser conhecido por nós, pois Ele sabe que à medida que nos relacionamos com Ele, conhecemos o seu coração e quando sabemos quem Ele é, confiamos Nele. ‘’Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração’’. Jeremias 29:13


Deus quer ser encontrado, imagine um pai que brinca de esconde-esconde com seu filho. A graça não é encontrar um esconderijo tão bom que o filho jamais o encontre (o pai facilmente poderia fazer isso), a graça do pai é justamente ser achado. Assim é o Senhor, nos mostrando o caminho para conhecê-lo, sempre há algo dele amostra.

Esse é um ponto importante, o Pai quer ser conhecido. Ele sabe que não tem como confiarmos em alguém que não conhecemos.


‘’Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam’’. Salmos 9:10


Eu imagino aquelas moças indianas que eram dadas em casamento por suas famílias sem antes se quer poder ver o futuro marido, penso em como seus corações deveriam estar cheios de angústia e receio, destinadas a entregar suas ‘’vidas’’ para alguém que não se sabia as intenções e sentimentos. Certamente era algo muito difícil.


A confiança é construída com tempo e exige entrega, renúncia e reciprocidade como eu falei antes. Agora pensem comigo: Como podemos conhecer alguém realmente?

Passando tempo junto? Ouvindo essa pessoa falar? Procurando descobrir seus gostos, conhecendo suas emoções? Suas opiniões? Seus planos e sonhos? Entendendo suas tristezas e alegrias?


Sim! Tudo isso.

É necessário investir tempo e intencionalidade.

Sempre quando penso em confiança em Deus lembro de Jesus poucas horas antes de ser entregue a morte em um momento de muita aflição ele recorre ao Senhor "Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua". Lucas 22:42


Uau! Jesus conhecia tanto o coração de Deus que embora ele estivesse prestes a passar pela terrível crucificação, ele confiou que apesar de difícil, a vontade do Senhor é sempre boa, perfeita e agradável. Por conhecer o coração de Deus, Jesus se entregou a Sua vontade sem hesitar.


Não sei você peregrina, mas eu quero alcançar esse nível de confiança!

E quando eu falar ‘’Que seja feita a vontade de Deus’’ eu quero confiar e me entregar a essa vontade. Não apenas a vontade que seja fácil pra mim, a que seja prazerosa, a que não exija de mim renuncias e mudanças. Mas por conhecer o coração do Pai saber que mesmo quando choro, mesmo quando estou angustiada, confiar que o amor dele é fiel e não muda.


Pra não esquecer:

Relacionamento te faz conhecer, conhecimento te faz confiar, confiança te faz descansar.


Por Marjorie Aleixo

1,784 visualizações8 comentários

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon