Dia 5: Amar o outro como a si?



“Tenho chamado vocês de amigos porque tudo que ouvi do pai,

eu lhes dei a conhecer” – João 15:15

A bíblia é um livro sobre relacionamentos. Em todo seu enredo, desde a história da criação, aprendemos sobre um Deus de amor que deseja um relacionamento saudável sua criação. Embora o homem tenha se afastado de Deus, por meio de Cristo, hoje vivemos a jornada da reconciliação.

Em João 15 Jesus nos ensina o segredo para sermos frutíferos em nossos relacionamentos. Dar frutos está além de ser apenas de ser produtivo, tem a ver com permanecer. O ramo só dá frutos permanecendo na videira, e essa é uma chave para desenvolvermos relacionamentos saudáveis: permanecer em Jesus.

Deus deseja transformar todos os nossos relacionamentos em todas as dimensões: seu relacionamento com Ele, seu relacionamento consigo mesmo e seu relacionamento com os outros.

1) Amar a Deus


A Consciência de que você é amado é um ponto fundamental em nossa vida com Deus. Jesus diz que assim como o Pai me amou eu também amei vocês (leia Joao 15:9). Jesus era convicto de que ele era amado pelo Pai e que, por isso, ele podia nos amar como o Pai o amou. Jesus nos ensina aqui que, quanto entendemos que somos amados e aceitamos esse amor, nossa identidade é restaurada e, quando sabemos que somos amados, somos também capacitados a amar os outros com esse mesmo amor. O desejo de Deus é restaurar nossa identidade de filhos à medida em que conhecemos o seu amor.

Talvez em sua história de vida tenha muitas marcas de experiências que nem sempre você se sentiu amado pelas pessoas, mas a verdade que Deus declara sobre você é que sua identidade é que você é um filho amado e que, por isso, você é capacitado para amar como ele te amou.

2) Amar a si


Talvez, se você parar um minuto para pensar, você vai identificar vários defeitos em você, não é verdade? Amar a si não é a ausência de defeitos, mas reconhecê-los e ser transformado dia após dia a medida em que você se relaciona com Deus.


Em 2 Coríntios 3:18 diz que “nós com o rosto descoberto, contemplando a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na própria imagem de Deus, como pelo Senhor que é o Espírito”. Isso mesmo, ao passo que olhamos para o Senhor, somos transformados.


Deus é especialista em transformar história e usar nossas vulnerabilidades, dores e fraquezas para forjar em nós um coração puro espírito reto e glorificar o seu nome (leia Salmo 51:10).


Diariamente somos bombardeados por informações que nos levam a comparação, a culpa, a autocomiseração e tantos outros sentimentos que criam obstáculos em nosso coração quanto a amarmos quem somos em Deus. Nós nunca seremos bons o suficiente aos olhos das pessoas, nem vamos nos aperfeiçoar com as nossas próprias mãos. Contudo, quando aceitamos que somos amados e amamos quem nós somos, somos aperfeiçoados por Deus e vivemos em liberdade e em novidade de vida (Leia Romanos 6:4).

3) Amar ao próximo


Bem depois de compreender que somos amados e que podemos amar a nós –mesmo com nossas imperfeições - chegou a hora de amar ao próximo! Amar ao outro como a si mesmo é mais que atos de caridade e benevolência, tem a ver como a maneira como enxergamos e nos relacionamos diariamente como as pessoas ao nosso redor, quer as conheçamos ou não. O Amor de Deus é contagiante e é impossível conhecer esse amor sem compartilhar com quem está a nossa volta. O nosso conhecimento sobre Deus deve afetar nossos relacionamentos, como, por exemplo, as nossas amizades.


Aprendemos com Jesus, em João 15, que ele nos chama de amigos, se fizermos o que ele nos ordena, e o que ele nos ordena é: amem uns aos outros. O reino de Deus é um reino de amigos.


Te convido então a ingressar nessa jornada de amor!


Por Carol Martins


299 visualizações

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon