Dia 5: Transformando dor em alegria

“Alegre-se, pois, o meu coração, e o meu espírito exulta; até o meu corpo repousará seguro. Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitiras que o teu santo veja corrupção. Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” Salmo 16.9-11


Em muitos aspectos, Davi fora um homem de contrastes como qualquer ser humano normal. Ao lermos os seus salmos podemos nos sentir conectadas com suas emoções, pois seus sentimentos não são tão diferentes dos nossos, não é mesmo? Davi experimentou sofrimento e perdas, pecado e dor, mas também encontrou alegria incomparável! Onde está então o segredo deste homem?


Muitos personagens Bíblicos passaram por terríveis experiências de sofrimento. Estes homens e mulheres de Deus nos inspiram em prosseguir em fé, mesmo quando os dias forem tenebrosos e maus. Em Filipenses 4.10-12 observamos Paulo afirmando que havia aprendido a viver contente em toda e qualquer situação, tanto na abundância como na escassez, porque tudo ele podia naquele que o fortalecia. Leia o versículo a seguir:


“Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor.... Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece.” Filipenses 4.10a-13


Neste ponto, há de destacarmos duas afirmativas: Primeiro: Paulo aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação. Isto significa que, eu e você também podemos aprender. O aprendizado está disponível a nós e ele virá através de enfrentamentos de desafios.


Segundo: Paulo afirma que, tudo ele podia naquEle que o fortalecia. Geralmente usamos esse versículo para respaldar o nosso desejo de conquistar algo, um bem material ou mesmo uma posição, mas a verdade é que esse versículo fala sobre ser fortalecido em toda e qualquer circunstância. Mas, onde estava a alegria de Paulo?

Tanto Davi como Paulo aprenderam a reconhecer a bondade de Deus independente de como estavam as coisas as suas voltas, pois, eles não viam naturalmente, mas viam pela fé. E fé não é fingir que os problemas não são reais, mas é vê-los pela perspectiva divina.


Querida Perê, sei que talvez muitas de nós temos enfrentado dias de muita dor, medo ou depressão. E saiba que não temos que nos enganar quanto a isso, ou tentarmos nos entorpecer com algum tipo de compulsão e fuga. Te convido a olhar para sua dor como se ela fosse um objeto inanimado e entregá-la ao Senhor de coração.


Teve uma época em minha vida que eu não via sentido em mais nada, meus sonhos estavam mortos. Eu não tinha perspectiva de futuro e nem esperança, só conseguia olhar tudo o que não havia conquistado. Não tinha um bom salário, nem um bom emprego, nem uma casa que fosse minha, nem um marido e nem filhos para abraçar.

Ainda não tenho as coisas que listei logo acima. Mas descobri onde nasce a verdadeira alegria, assim como o rei Davi. Deus é o meu marido (Isaías 54.5) e, mais são os filhos da mulher solitária do que o da casada (Isaías 54.1). Sabe quando Deus tira um sorriso dos seus lábios apenas por estar presente em sua vida? E não apenas estar presente, mas Ele me compreende e me ajuda. Ele cuida do meu coração e da minha história e também da sua. Ele é suficiente!


Se há algo que podemos aprender com Davi é que nossas orações têm valor para o Senhor. Vale a pena derramar nosso coração no Senhor, nossas dores e medo. Toda e qualquer desilusão pessoal e insegurança pode ser trocada pela vida de Deus sendo derramada em nossos corações pelo Espírito Santo. O aprendizado é uma jornada diária e também uma jornada pessoal que Deus nos convida a trilhar.


Davi orava: “Inclina, Senhor, os ouvidos e responde-me, pois estou aflito e necessitado. Alegra a alma do teu servo, porque a ti, Senhor, elevo a minha alma. Pois tu, Senhor és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam. Escuta, Senhor, a minha oração e atende à voz das minhas súplicas. No dia da minha angústia, clamo a ti, porque me respondes.” Salmos 86.1,4-7


Quando aprendemos a confiar no Senhor experimentamos contentamento inabalável. A alegria é fruto do Espírito e apenas Ele pode liberar essa virtude sobre nós. E de novo, isso é aprendizado firmado em posicionamento.


Tristeza não é força, mas a alegria é. Este, porém não é um sentimento fingido ou forçado, mas a presença do próprio Deus em nossas vidas gerando esperança. Em Neemias 8.9-11, observamos Esdras e o próprio governador Neemias ensinado o povo trocar choro por alegria. Há momentos de prantear, mas também há momentos de exercermos fé e nos alegrarmos em Deus por tudo o que Ele tem feito e fará.


“E Neemias, que era o governador, e o sacerdote Esdras, o escriba, e os levitas que ensinavam ao povo, disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao Senhor vosso Deus, então não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da lei. Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força. E os levitas fizeram calar a todo o povo, dizendo: Calai-vos; porque este dia é santo; por isso não vos entristeçais.”

Neemias 8:9-11


Até que ponto temos percebido nossos dias como santos, como presente de Deus? Quando contemplamos o horizonte qual é nossa visão? Que, assim como Davi, também possamos ver os caminhos da vida através de uma revelação clara de quem é Jesus e de como Ele nos ama. E seu amor muda tudo.


Que mesmo em densa escuridão, vejamos estrelas cintilantes como sinais de esperança. A presença de Deus é suficiente para transforma o caos e a dor em contentamento. Lembre-se: “na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.”


Como você tem enfrentado suas dores? Conte-nos o que tem fortalecido teu coração.


Por Nayla Cintra

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon