Lidando com os padrões da sociedade



Vamos começar este devocional com algumas perguntas. Quero que você reflita: O que te leva a fazer tudo o que você tem feito na sua vida atualmente? Onde você tem

canalizado suas forças diariamente? O que você pensa ao se levantar e o que te deixa

grato ao se deitar?


Precisamos repensar nossos valores se as respostas a essas perguntas não estiverem

ligadas à Deus. Em Eclesiastes, Salomão afirma diversas vezes que “tudo é vaidade” e,

ao falar disso, ele se referia aos hábitos de homens e mulheres no mundo.


“Pelo que aborreci a vida, pois me foi penosa a obra que se faz debaixo do sol; sim, tudo é vaidade e correr atrás do vento.” – Eclesiastes 2.17


O fato é que muito daquilo que fazemos debaixo do sol – no mundo – é pura vaidade,

ou seja, não faz sentido. A versão bíblica NVI traduz esse mesmo versículo dizendo que o trabalho parecia pesado e inútil. E é justamente por isso, perê, que eu trouxe tais questionamentos, pois suas respostas revelam a forma como você tem lidado com o mundo e os padrões sociais.


Com isso, é válido lembrar que não fomos chamados a ter um estilo de vida

descontextualizado, em uma bolha. Jesus Cristo veio e pregou a partir de situações

comuns daquela época, mas, apesar disso, ele dava às suas parábolas uma essência do

Reino, uma perspectiva da eternidade. Ele não abandonou suas raízes ao contar

parábolas e nem ao andar com as pessoas marginalizadas na época, como cobradores de impostos, doentes e, até mesmo, mulheres.


Contudo, precisamos ter muito equilíbrio ao analisar os padrões deste século. Vivemos em um ritmo frenético de trabalho, modas, tendências e tudo é novo a todo instante. Somos levados por uma enxurrada de informações que praticamente nos obriga a acompanhá-las. Mas, para nosso consolo, Jesus viveu entre os homens e, ao subir aos céus, deixou o Espírito, o qual nos permite discernir diversas coisas. O apóstolo Paulo diz que “tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine” (1 Cor. 6-12).


Esse versículo é destinado aos coríntios, um povo que vinha de uma cultura grega

fortemente relacionada ao paganismo. Anteriormente, eles acreditavam ser semideuses e, por isso, viviam dizendo que ‘tudo me é permitido’. De fato, essa crença ainda é comum nos nossos dias, mas, em resposta a isso, temos o Espírito de Deus nos ajudando a discernir o que convém, pois não podemos permitir que nada deste mundo nos domine.


Se tudo o que você tem feito na vida é por causa de algo ou alguém – e não a Deus

primeiramente – repense. Se você tem se esforçado apenas em obras debaixo do sol, que passarão, repense. Se seus pensamentos estão voltados majoritariamente a algo o

alguém desta terra, repense.


Volto a dizer que não fomos chamados para viver em uma bolha, mas carregamos a

essência do nosso Pai e, por isso, não permitimos que nada nos domine. Você deve estar contextualizado ao seu tempo, você precisa conhecer o agora, pois este é o momento para o qual você foi criado. Mas nunca se esqueça de que você foi criado para habitar entre os céus e a terra. Então, não resuma seus dias às coisas que passarão! Esta é a melhor forma de lidar com os padrões da sociedade: entenda que você faz parte de algo muito maior.


Por Isabela Narente


121 visualizações2 comentários

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon