Para fugir do frio




Em alguns momentos da nossa caminhada cristã, nos vemos submergidos em uma frieza que nos impede de viver a plenitude em Jesus. O que antes era a intensidade do primeiro amor deu lugar a estagnação e comodismo. Os problemas do dia a dia, a rotina, as influências externas e talvez, não tão de repente assim, nos vemos em uma situação de grande risco: a falta de paixão por Jesus.


Não sentimos mais a presença de Deus, nos sentimos esquecidos ou abandonados por não ouvir mais o Espírito Santo, as canções são vazias, as orações de tornam meras repetições, e nos afundamos em questionamentos e culpa. Esquecemos as experiências já vividas e a indiferença e o desinteresse nos acompanha nos cultos e reuniões com os irmãos e, no lugar de alegria, a fadiga. Um coração congelado não se lembra do fogo. Restou o ativismo na igreja sem o relacionamento com o noivo. Como chegamos até essa situação?


Se esse for o seu caso, não é tarde para recomeçar e clamar para que o fogo queime novamente em seu coração. Quero te ajudar a lutar contra a frieza e permanecer com o coração em chamas por Jesus. Vamos lá?


Acredito que o primeiro passo é analisar a si mesmo. Você precisa identificar como está a sua vida diante de Jesus. Quais são as suas prioridades? No que você tem gastado o seu tempo? Onde está o seu prazer? Vale a pena refletir. Só você pode de fato identificar se está com o coração distante. “Examine-se, pois o homem a si mesmo...” (1Co 11:28).


Muito mais importante do que a intensidade é a constância. Precisa ser sempre, não pode ser hoje muito e amanhã nada e sim todos os dias um pouco mais. Queimar por Jesus não se refere a você apenas chorar e “tremer” na presença dele, mas se trata de uma vida transformada, um caráter redimido e mudanças de atitudes dia após dia buscando ser mais parecido com Ele. “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará” (Lv 6:13).


E por falar em intensidade... Às vezes, achamos que só estão distantes da frieza pessoas intensas na presença de Deus, mas quero te dizer que, de vez em quando, aquela menina quietinha que pouco se expressa pode sim ter um coração mais fervoroso do que ministros de adoração que estão “queimando” na frente de todos. O que eu quero dizer é que queimar por Jesus não se trata de SENTIR, mas de SER.


Sobre o sentir, tenho algo importante para te falar. Às vezes, limitamos a nossa vida espiritual às sensações. “Ah hoje eu vou adorar e ler a bíblia porque estou sentindo Deus”. NÃO! Nós temos que buscá-lo por convicção de que o Senhor é digno e isso independe de como eu estou me sentindo. Não está relacionado às minhas emoções, mas sim naquilo que eu acredito. Então, mesmo quando você não sentir um arrepio, entenda que Jesus merece sua adoração, atenção e devoção e, a partir desse profundo entendimento, entregue tudo a Ele.


Isto é maturidade: desvincular sua vida espiritual das suas emoções, pois nossas emoções mudam o tempo todo, mas a verdade do Senhor é imutável. “Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente!” (Hb 13:8).


Não se esqueça de suas experiências com Ele. Você se lembra de como foi a primeira vez que Ele tocou o seu coração? Se lembra de onde Ele te tirou? Como sua vida era vazia e triste e como Ele te deu paz e alegria?


Sabe... Quando me lembro de quem eu era antes de Jesus, meu coração se enche de gratidão por onde estou agora. Eu era uma garota infeliz e cheia de traumas e inseguranças. Achava que nunca seria realizada em um relacionamento e que nunca encontraria alguém que me amasse de verdade. Jesus me livrou do peso que eu carregava, limpou as minhas vestes e me mostrou como a vida pode ser feliz quando temos a Ele. A gratidão é uma importante chave para vencer a frieza. Todas as vezes que você sentir que está se afastando do propósito, lembre-se de onde Jesus a tirou, seja grata e o ame com todo o coração. Pois quem foi muito perdoado, muito ama (Lc 7:47).


E por fim, mais um conselho: Nunca fique satisfeito com o lugar que você alcançou na sua vida espiritual, sempre queira mais, o nosso Deus é ilimitado. O erro fatal de muitos cristãos é achar que já “viu o bastante”. Não pense que já sabe muito da palavra, tenha sempre fome e sede por conhecer a Cristo. Ele é multifacetado e à medida que temos a revelação de quem Jesus é, da sua glória e também da sua personalidade, é impossível não sermos completamente apaixonados por Ele. Conhecer a Cristo nunca vai ser algo monótono mas sim cheio de prazer e contentamento, pois seremos, dia após dia, entusiasmados por Sua vida em nós. Corações pegando fogo por Ele.


Por Marjorie Aleixo

697 visualizações

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon