Quantas Evas Caladas existem?



A perversidade humana pode surpreender. Não sabemos até que ponto ela pode ir e a comoção é geral quando mais um caso é revelado, quando uma vítima consegue, enfim, coragem para falar. Há poucos dias, o caso de Eva Luana dominou as redes sociais. Todos horrorizados com os seus relatos de agressão física e psicológica praticados pelo padrasto contra ela e a mãe por mais de oito anos.


Logo pensei em quantas Evas caladas podem existir. Talvez aquela vizinha, colega de classe, de trabalho ou conhecida da parada de ônibus. Talvez, para cada uma delas, chegar em casa seja a pior hora do dia, e a voz elevada e uma mão levantada já causam tremores. O medo é uma constante, para as outras e para nós mesmas; o eterno receio de fazer parte das estatísticas, encurraladas por amor, temor, baixa auto estima, dependência financeira ou qualquer outro motivo.


O abuso não é apenas sobre sexo, assim como não é exclusivo de relações amorosas. Qualquer vínculo corre o risco. É sobre humilhação, perseguição, opressão e um silêncio que pode ser para sempre. Que não seja! Oramos pelo dia em que todas as mulheres serão livres do medo dentro de casa, que dormirão tranquilas, andarão nas ruas sem o coração acelerar de forma negativa e amarão sem traumas.


Mas não, a culpa não está em um ou outro somente. O pecado tornou a nossa natureza perversa -ironicamente, começou com a corrupção de Adão e Eva -, mas é vencido quando uma Eva resolve falar para que a justiça dos homens seja feita, para abrir os olhos de outras que não compreendem o que vivem ou que sofrem silenciadas. A vida sem conhecer a Cristo e sem viver o cristianismo verdadeiro corrompe a humanidade dia após dia. E a cura, assim como a redenção, só virá por meio Dele. Afinal, “só Ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas” (Salmos 147:3).

Quantas Evas Caladas podem existir? Lembro-me então da mulher com fluxo de sangue, considerada, inclusive, impura e culpada na visão de uns. O seu desespero após anos de dor a fez correr, gritar e tocar Jesus. A sua vontade de mudar a própria realidade a fez lançar-se aos pés de Jesus e tocar no seu manto, encontrar-se com ele apesar de qualquer retaliação. Então ele lhe disse: ‘Filha, a sua fé a curou! "Vá em paz e fique livre do seu sofrimento" (Marcos 5:34). Imagino quantos compreenderam o poder de Jesus a partir daquele ato.


Da mesma forma vejo o que tem acontecido com Eva, a qual deixou de lado o sigilo da Justiça para levar a público o que sofria. Seus relatos chocaram e seu testemunho começou a impactar vidas, a derramar clareza, consciência e cura sobre outras meninas e mulheres. Como pode alguém passar por tamanha dor e humilhação e suportar, ser forte e não desistir de viver?


Se você está em uma relação abusiva, saiba que não está sozinha. Com um namorado, um marido, um pai, uma mãe, um padrasto, não importa. E mais: você não a merece. Cristo nos criou para sermos amadas e respeitadas. Ele próprio nos amou acima de nossos erros. Não foi por algo que você fez. Você não tem culpa. E nós estamos orando por você. Lute e acredite. A dor pode ser insuportável, mas há um Senhor que pode sará-la. Busque ajuda de autoridades, sejam elas religiosas ou não, e procure o Deus Pai. A perversidade do homem pode superar limites, mas a graça e o poder de Cristo a ultrapassam.


Por Mariah Costa

461 visualizações1 comentário

© GAROTAS PEREGRINAS since 2018

Designed by Mariana Baroni

  • Preto Ícone Spotify
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon